icn-close
icn-phone
(+351) 289 315 235
geral@jf-quarteira.pt
icn-fb
Facebook
HOME

Estrangeiros ‘regressam à escola’ para aprender português

2019-05-28

Promover a inclusão e integração de cidadãos estrangeiros é o objetivo de dois projetos sociais que incluem o ensino da língua portuguesa, atualmente em curso na Freguesia de Quarteira. Ao todo são 202 os imigrantes de várias nacionalidades que frequentam atualmente as aulas promovidas pela Fundação António Aleixo e a Academia do Saber.

“A socialização dos estrangeiros que residem em Quarteira torna-se muito mais fácil quando dominam a língua, pois isso permite-lhes comunicar e participar de forma mais efetiva na vida pública”, reconhece a propósito o Presidente da Junta de Freguesia (JF) de Quarteira, Telmo Pinto, um dos fortes impulsionadores da Academia do Saber, que acolhe este ano letivo 160 pessoas nas seis turmas dedicadas ao ensino da língua de Camões.

Português para Franceses (nível I e nível II), Português para Italianos (nível I e nível II) e Português para Outras Línguas (Nível I e nível II), são os módulos em curso na Academia do Saber, programa que arrancou em 2016 e já envolveu participantes de 18 nacionalidades diferentes.


 Apoio à regularização documental

Português Para Todos (PPT) e Português Falante para Outras Línguas (PFOL) são, por sua vez, os programas de formação promovidos desde 2017 pela Fundação António Aleixo em parceria, respetivamente, com o Centro de Emprego de Loulé e o apoio da JF de Quarteira e com o Agrupamento de Escolas Dra. Laura Ayres.

Direcionados a imigrantes adultos nacionais de países terceiros, residentes em Quarteira, os cursos decorrem no âmbito do Loulé sem Fronteiras (LSF), projeto que decorrerá até maio de 2020. Financiado pelo Fundo Asilo, Migração e Integração (FAMI) do Alto Comissariado das Migrações e a Câmara Municipal de Loulé, o LSF visa promover a integração social, escolar e profissional de imigrantes, bem como das respetivas famílias.

Daí que, tanto o PPT como o PFOL (Níveis A1 e A2), atribuam aos alunos um certificado no final das 150 horas de formação, ferramenta que permite, por exemplo, apoiar a sua regularização documental junto do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Atualmente são 42 os alunos de países tão variados como Nepal, Bangladesh, Rússia, Índia, Argélia, África do Sul, China, Nigéria e Paquistão, entre outros, a marcarem presença nas duas turmas de PFOL (A1 e A2), em curso desde janeiro deste ano. Lançado em setembro de 2017, o projeto certificou até dezembro do ano passado um total de 66 pessoas que frequentaram duas turmas de PPT e duas de PFOL.

© TOPPING CREATIVE STUDIO